MC-Bauchemie

Os desafios associados ao assentamento de novos revestimentos

Jun 07, 2017

Por Rebeca Penido Ferreira - Gerente de Produtos da MC-Bauchemie

 

Quando o assunto é assentamento de revestimento, é muito comum ouvir aquela antiga frase vinda de pedreiros, assentadores e até mesmo de engenheiros: “Faço isto há trinta anos e nunca tive problemas.”

 

No entanto, convenhamos que os revestimentos utilizados há mais de duas décadas atrás são muito diferentes dos materiais comercializados atualmente. Se analisarmos mais profundamente, as mudanças têm ocorrido de maneira muita rápida e intensa. Todo ano são lançados novos produtos cujas características próprias variam consideravelmente, seja pela matéria prima utilizada, pela metodologia de fabricação ou até mesmo o local onde o material é extraído.

 

As pedras vulcânicas, como Hijau, Green Bali e Black Bali, os revestimentos cimentícios, os tijolos de decoração e os porcelanatos slim são alguns dos exemplos de revestimentos que estão em alta e possuem características e comportamentos totalmente diferentes. Isto, com certeza, se deve ao fato de que o componente químico principal e o processo de fabricação que forma cada uma destas peças se difere significativamente.

 

Avaliando todos estes fatores, podemos chegar a uma conclusão simples: o assentamento de novos revestimentos não é a mesma coisa que assentar os azulejos e cerâmicas utilizados no passado. Não existe mais um único produto que assente todos eles e que garanta segurança e vida útil para os usuários.

 

Pensando nisso, a equipe de pesquisa e desenvolvimento da MC-Bauchemie iniciou há 5 anos um processo de criação de argamassas e rejuntes baseados nas diferentes tipologias de revestimentos. O foco inicial foram as pedras de origem vulcânica, como Hijau e Green Bali. As peças foram enviadas para a Alemanha para a realização de inúmeros testes e, após um ano de pesquisas, foi lançada a argamassa M12 HP. Esta argamassa possui elevada flexibilidade e aderência, garantindo que as pedras não desplaquem. Além disso, esta placa possui aditivos que evitam o manchamento e os processos de eflorescência, comuns em pedras naturais com junta seca.

 

O mesmo foi feito com os revestimentos cimentícios. Neste caso, além de avaliar a movimentação e absorção das peças, o fator peso foi muito decisivo. Era preciso desenvolver uma argamassa que suportasse revestimentos pesados e que pudesse ser aplicada com maior espessura pois os cimentícios não são regulares como os porcelanatos, sendo assim, muitas vezes a mão de obra aplica mais de 1 cm de argamassa para regularizar a peça e o contrapiso. Desenvolveu-se então a argamassa M12, que possui características semelhantes a M12 HP, porém com um custo mais baixo por não exigir tanta flexibilidade como a pedra vulcânica. A M12 pode ser aplicada com espessuras de até 3 cm e é indicada também para regiões com tráfego de veículos.

 

Por último e não menos importante, criou-se a linha M29 HP, desenvolvida para facilitar o assentamento de porcelanatos em grandes formatos e porcelanatos slim. Esta argamassa possui 3 vezes mais aderência do que uma comum indicada para porcelanatos. Além disso, a M29 HP é uma argamassa fluída e por este motivo dispensa o processo de dupla colagem – aplicar argamassa no verso do revestimento e no piso. Estas e outras vantagens garantem maior segurança e facilidade no processo de assentamento dos porcelanatos.

 

Estas e outras inúmeras tecnologias são desenvolvidas continuamente pela MC-Bauchemie em parceria com fabricantes de revestimentos como Pasinato, Brick Studio, Palimanan e Castelatto. No entanto, é importante ressaltar que não basta utilizar um excelente produto se a aplicação for errada ou ruim. É muito importante fazer a escolha certa na hora de escolher o assentamento de revestimento. Pensando nisto, a MC-Bauchemie oferece diversos treinamentos para arquitetos e mão-de-obra especializada nas boutiques de revestimentos parceiras e em eventos externos.

abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123