La Seine Musicale

Paris - França

Um marco no horizonte parisiense

 

Paris, cidade mundialmente conhecida por sua beleza e sua intensa vida cultural, agora está ainda mais interessante nesses dois quesitos. Depois de três anos de construção, a sala de concertos La Seine Musicale abriu suas portas em abril de 2017. A MC fez uma grande contribuição para que o edifício fosse belo como é.

La Seine Musicale
La Seine Musicale
© MC-Bauchemie 2020


La Seine Musicale

Paris - França

 

Ao custo de 170 milhões de euros, o novo espaço foi construído na ilha de Sequin, no rio Sena, e já ganhou vários prêmios graças a sua arquitetura visionária. A construção futurística de 36 mil metros quadrados tem um auditório com 1150 lugares e uma sala de concertos para 6 mil pessoas.

 

Qualquer tipo de música pode ser executada ali. Há também salas privativas de ensaio para os músicos, vários estúdios de gravação, terraços e um restaurante. Do quarto andar, também se tem uma bela vista panorâmica da capital francesa. Em 2015, durante o MIPIM, um dos maiores eventos do setor imobiliário da Europa, a construção ganhou o prêmio Best Futura Project Award. Um ano antes, recebeu o selo Biodiversity Progress, concedido pela Bureau Veritas.

 

O projeto e a execução da construção foram realizados conjuntamente pelo Departamento Hautsde-Seine e pelo consórcio Tempo Île Seguin, das empresas Bouygues Construção, Sodexo, OFI Infravia e a televisão estatal francesa, TF1. A arquitetura do La Seine Musicale lembra um navio de cruzeiro. O prédio foi projetado pelos arquitetos Jean de Gastines e Shigeru Ban, verdadeiros mestres que entre tantas criações de destaque, assinam o projeto do Centro Pompidou, em Metz.

 

Os conceitos arquitetônicos empregados no projeto do La Seine Musicale incluem vários aspectos de sustentabilidade, por exemplo, a autonomia energética. A fachada envidraçada em forma de domo no centro do edifício literalmente “colhe” os raios solares com células fotovoltaicas para transformá-los em energia. Outra estrutura que se assemelha à uma vela de navio também tem propriedades fotovoltaicas. Mas não é só isso.

 

A vela “persegue” o sol à medida que ele se move para que a geração de eletricidade seja a máxima possível. Dentro do prédio, quando se olha para o teto de vidro, o espectador tem a impressão de ver um ninho gigante, que combina harmoniosamente com os elementos naturais da ilha e o verde predominante no ambiente. Em contraste com a peça central da construção, o prédio é envolvido por uma fachada imponente, cuja elegância estética advém da combinação do vidro e do concreto.

 

Concreto aparente rigorosamente especificado

 

Produzir concreto aparente para fachadas não é tarefa fácil. Imperfeições como porosidades, bolhas, diferenças na coloração, aparecimento de manchas, ressecamento superficial são situações que podem frustrar bastante o resultado esperado.

 

No caso do La Seine Musicale, a qualidade do concreto usado na fachada era vital para que o prédio tivesse o aspecto desejado pelos arquitetos. Por essa razão, os engenheiros de projeto decidiram utilizar um sistema especialmente desenvolvido para dar o acabamento desejado e, mais uma vez, a expertise da MC foi essencial.

 

Alta performance

 

Em janeiro de 2017, a empreiteira Bouygues Construction analisava os resultados dos testes de produtos efetuados pelos possíveis fornecedores. A sala de concertos deveria ser inaugurada a menos de três meses daquela data. A solução, portanto, teria de ser rápida e, ao mesmo tempo, eficaz e duradoura.

 

O sistema da MC acabou vencendo os concorrentes e foi escolhido. A empresa propôs a combinação de um preenchedor fino de concreto da família Emcefix, do revestimento pigmentado para concreto Repacryl e do revestimento transparente antipichação MC-Color Proof vision. A aplicação foi rápida graças ao esforço extra da empresa Contreat, da Bélgica, que se destacou entre os aplicadores concorrentes.

 

Com o sucesso do teste de superfície, o trabalho progrediu com rapidez e, dentro de oito semanas, 9 mil metros quadrados de concreto foram recobertos.

 

O espetáculo é do Emcefix, Repacryl e do MC-Color

 

Logo após a aplicação do substrato, as equipes se concentraram na correção das porosidades, bolhas, juntas danificadas e de outros pequenos problemas. Esse processo foi realizado com um cosmético para concreto chamado Emcefix-Spachtel F, que já vem nas cores, branco, cinza e antracito.

 

A superfície foi posteriormente suavizada com Repacryl para garantir a homogeneidade e um acabamento de alta qualidade. Aqui MC e Contreat desenvolveram e testaram três versões do Repacryl nas cores cinza, cinza “aconcretado” e cinza claro para verificar qual delas daria à estrutura o acabamento sonhado pelos arquitetos.

 

Além do belo efeito estético final, a estrutura adquiriu proteção contra a radiação UV, os efeitos do tempo e a descoloração. Também adquiriu propriedades antipichação com a aplicação do MC-Color Proof vision numa faixa de três metros de altura ao redor da construção, ou seja, 3 mil metros quadrados no total.

 

O MC-Color Proof vision confere ao concreto resistência até mesmo contra as pichações mais agressivas, sendo ideal, portanto, para proteger as construções que também são marcos urbanos.

 

O toque final da MC

 

Por fim, 150 metros quadrados do pavimento localizado na entrada do edifício foram revestidos com o MC-Floor TopSpeed. O revestimento pigmentado de rápida acomodação foi aplicado com rolos. Simples assim!

 

Sua fórmula de resinas especiais protege o pavimento de forma duradoura e confere especial proteção contra arranhões, resistência mecânica, além de um acabamento impecável.

 

Com uma estética de primeira por dentro e por fora, a nova sala de concertos agora é um marco da capital francesa. A inauguração ocorreu em abril de 2017 com um show de Bob Dylan.

abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123 abs 123